Arquitetura Residencial Multifamiliar em Maceió

 

Introdução

         A produção de edificações para o uso residencial multifamiliar foi inicialmente apontada como uma alternativa para a resolução do problema acerca das construções habitacionais em centros urbanos. Em Maceió, este tipo de produção arquitetônica teve início em meados da década de 1970, sendo bastante visível o seu processo de expansão, o que o torna exemplar contemporâneo da arquitetura do estado dotado de valor histórico, estético e funcional.

         A lacuna ainda não preenchida acerca desta temática se torna um ponto relevante de interesse a ser estudado pelo grupo PET-Arquitetura.

 

Objetivo

         Este estudo tem como objetivo investigar a produção referente às edificações multifamiliares em Maceió a partir de 1990. Desse modo, pretende-se analisar o processo de expansão desse modelo de habitação, relacionando a mudança dos aspectos projetuais com o contexto que possibilitou a sua ocorrência.

 

Metodologia

         A pesquisa, de natureza empírica, consiste quanto à forma de abordagem em revisão de literatura; realização de levantamento fotográfico e documental na área delimitada (trecho localizado entre os bairros Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca); entrevistas com arquitetos atuantes na cidade e representativos nesse tipo de produção habitacional; análise da amostragem quanto ao programa arquitetônico, materiais utilizados, forma e elementos compositivos da fachada.

 

Resultados

Observa-se uma homogeneidade em relação à produção atual que não era tão perceptível nos anos anteriores, assim como mudanças em relação ao dimensionamento, às proporções e à utilização dos elementos formais nos edifícios. Devido à crescente demanda por apartamentos na área estudada, constatam-se o subdimensionamento dos espaços e redução do uso das varandas, como artifícios de aproveitamento da área. As proporções dos edifícios estão condicionadas à legislação, que limita o gabarito das edificações significativamente, e aos interesses de exploração da produtividade máxima do solo urbano, por parte dos empreendedores imobiliários. Isso não permite que forma seja livremente explorada e nem que as soluções de planta sejam variadas. Em decorrência disso, são utilizados elementos de revestimento nas fachadas com cores e formas variadas, como um diferencial do projeto.

 

Universidade Federal de Alagoas

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Edifício Navegantes, Jatiúca—Maceió/AL

Arquivo—PET/Arq

 

Edifício Porto Cale, Jatiúca—Maceió/AL

Arquivo—PET/Arq

 

Edifício Lâmede, Ponta Verde—Maceió/AL

Arquivo—PET/Arq

 

Edifício na Jatiúca, Maceió/AL

Arquivo—PET/Arq